sexta-feira, 18 de maio de 2012

Concurso Cultural "A vida nada normal de uma Balzaquiana".


Esta é a minha participação no concurso A vida nada normal de uma Balzaquiana promovido pela Beta do Mix Cultural .


A DESAJEITADA MULHER DE TRINTA

Cheguei aos 30 anos em um piscar de olhos, com uma vida dedicada ao lar.  Com um filho de dois anos tendo deixado de trabalhar para ser mãe em tempo integral. Entrei em crise quando me vi sozinha com as tarefas domésticas e as responsabilidades de mãe e esposa. Comecei a trabalhar desde cedo e mesmo não sendo uma leiga nos serviços do lar não tinha a mesma habilidade que desempenhava no escritório.

  Lembro como se fosse hoje que não sabia por onde começar. Marido saía para trabalhar, filho chorava, cozinha de pernas para o ar, mamadeiras por todo lado, pia com louça para lavar e pensando o que fazer para comer. Um tempo de vacas magras que a faxineira só vinha a cada quinze dias cuidando também da roupa, mas as fraldas e roupinhas do meu filhote criavam pilhas que não tinha como eu ficar olhando e esperando um milagre.

Muitos foram os dias que entrava em desespero desabando a chorar e me achando a pior das mulheres. Olhava para o meu visual e me achava péssima, o meu corpo não era mais o mesmo, o meu cabelo mais um pouco iria ficar igual à Rapunzel.

Queria tanto casar, ter filhos e não ficar para a titia que não parei para pensar o trabalho que vinha por traz desses sonhos, mas com o tempo fui me organizando e sabendo administrar a casa sendo uma exemplar executiva do lar.

Sobrava tempo para passear na pracinha, bater papo com as outras mamães, ir às festinhas de aniversário, ao teatrinho infantil e até fazer ginástica levando o filhote a tira colo. Ele ficava sentadinho no Moisés e se divertia com os meus exercícios.

E o papai onde estava? Trabalhando durante a semana, sábado não abria mão do seu jogo de futebol e domingo, nada mais do que justo, era todo da família.

Era difícil me abalar, mas acredito que essa faixa etária – a mulher de trinta – me tirou do sério quando queria voltar a trabalhar e comecei a procurar emprego. Foram oito meses de incansáveis entrevistas, passando por vários testes, ficando entre os três últimos selecionados e a resposta sempre era a mesma. “Infelizmente você não foi à selecionada, mas a sua ficha está conosco e chamaremos em uma próxima oportunidade.”

É uma fase que temos um comportamento autocrítico que se não houvesse um controle, entrar em depressão é mais do que certo. Pesa o que você acha, mas mais ainda o que a família e amigos comentam. Com certeza é a chamada crise dos trinta, a crise das inseguranças, a crise dos medos, a crise do quero o colinho da mamãe.

É um fase tão diferente das anteriores e dá uma vontade de voltar a ser aquela menina de quatorze anos ansiosa para chegar aos quinze com direito a tão sonhada festa. E continuamos sonhando em chegar à tão sonhada maioridade aos dezoito anos, sermos dono do nosso nariz , mas essa fase de princesa em busca do seu príncipe encantado passa rápido e quando menos esperamos já chegamos nos “inta” e procurando aproveitar antes que os ‘enta” chegue que vai nos acompanhar por algumas décadas.

Enfim conseguimos nos empregar e começar a carga dupla de trabalho – Casa x Trabalho - que conseguimos desempenhar com louvor. O crescimento profissional facilita a coordenação do lar e a educação dos filhos. O tempo corre e vai chegando ao final da fase dos trinta e só vamos nos tocar quando alguém lhe oferece o lugar no ônibus lotado ou até quando o tratamento muda para “senhora”.

Você acorda para a realidade e vê que aquela jovem adormeceu e que deu lugar a uma senhora e tendo que admitir que passou a ser  uma Balzaquiana.

É por isso que digo que quando eu voltar a este mundo quero experimentar ser homem. Será que eles passam pelas mesmas crises que nós mulheres? Será que hoje os homens estão mais presentes nas atividades do lar ?


Acredito que o crescimento da mulher no mercado de trabalho tenha sido responsável por alguma mudança , mas ainda existe muita restrição quanto a isso e a mulher ainda fica com a maior parte.

Não importa em que época você viveu a fase dos trinta porque seja ontem ou nos dias de hoje sempre haverá um questionamento a fazer, uma crise a ser vivida.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

" PRECISO DE CORAGEM "


SSenhor, preciso da sua ajuda


Sinto que estou perdida
Imersa nas trevas
Sozinha e sem forças.

Senhor, que és a luz do mundo
Mostra-me o caminho
Da coragem e determinação
Para os problemas obter a solução.

Senhor alivia a minha fome
Do amor que me fortalece
Libertando-me da destruição
Concedendo-me a sua benção.

Senhor dai-me sua mão
Para sentir a proteção
Evitando não mais errar
Esperando a Paz encontrar.

Irene Moreira





Minha participação para o 7º Encontro do Idéias Compartilhadas


sm_rs

terça-feira, 15 de maio de 2012

"BLOGAGEM COLETIVA AMOR AOS PEDAÇOS - 3ª FASE - ESPERANÇA



Esta é minha participação na Blogagem Coletiva Amor em Pedaços  promovida pelos blogs: LuzdeLuma - ROSA ,Espiritual-idade - ROSÉLIA ,  PublicarParaPartilhar -    RUTE e  NacoZinha - REGINA




 A 3ª Fase é sobre o tema  ESPERANÇA -  fruto da crença do fazer parte e do sentir-se em comunhão com o universo. Fazemos parte de uma grande corrente. Somos o elo de uma corrente, que se chama Vida. Afinal, somos todos um! Com a esperança construímos a nossa realidade de forma a nos ajudar a crescer. Ela não nos permite ficar estagnados ou presos em qualquer situação na vida. A esperança facilita o desapego, pois sempre acreditamos que ali, a mais um passo, teremos mais... uma nova oportunidade... e então acreditamos na Vida.




Toda esperança em nossas vidas requer muita paciência, muito amor e muita fé. Temos que acreditar em nossos sonhos e sermos incansáveis para que se realize. Vejo a vida como uma eterno sonhar e só tem sentido onde há amor, esperança e muita fé. (Irene Moreira)




A esperança nos dá sentido e propósito para a Vida e, assim, nos faz seguir adiante. Permitimos que tudo o que vivemos passe por nós e, então, continuamos a nossa caminhada pela Vida afora. E, principalmente, a esperança nos permite – a cada momento – vivenciar plenamente o Amor pela Vida. 


Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente, que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa,pois... A vida é construída nos sonhos e concretizada no amor.




"Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir.
Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida
e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades
para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E
esperança suficiente para fazê-la feliz."


Beijos

domingo, 13 de maio de 2012

"Quero lhe dizer. . . Você é a melhor mãe do Mundo "


Você é a melhor mãe do Mundo

Prêmio

Este é um brinde às mães que acreditam que no ano passado não ganharam o prêmio de Melhor Mãe do Mundo.

Às mães que levaram seus filhos ao colégio, cozinharam seus pratos preferidos e costuraram fantasias de última hora. E às que não fizeram nada disso.

Às mães da guerra que tremeram à noite pensando que talvez não voltariam a ver seus filhos.

Às mães que deram à luz bebês que jamais verão. E às que adotaram essas crianças e lhes deram um lar.

Às mães das vítimas da violência, às mães dos sobreviventes e às mães dos assassinos. E às que, horrorizadas, compartilham a dor dessas mães e abraçam seus filhos que acabam de chegar a salvo em casa.

Este é um brinde a todas as mães que permaneceram em pé toda a noite, acariciando o filho com febre, sustentando sua mão enquanto lhe diziam: "Está tudo bem, mamãe está aqui."

A todas essas mães que morreram de frio em arquibancadas geladas numa sexta-feira à noite, em um jogo de futebol, para que quando seus filhos lhes perguntassem "Você viu meu gol, mamãe?", elas pudessem responder: "Não perderia por nada neste mundo!" E diriam a verdade. A todas as mães que se sentaram com seus filhos para lhes explicar com amor e cuidado como são feitos os bebês. E a todas essas mães que quiseram ter feito isso mas não puderam.

A todas as mães que chegaram ao trabalho com manchas de leite em suas blusas, emplastro no cabelo e fraldas nos bolsos.

A todas as mães que colocaram ursinhos de pelúcia no jazido de seus filhos.

A todas as mães cujos filhos se extraviaram e não puderam encontrar palavras para chegar até eles.

Às mães recentes que se equilibraram entre mamadeiras, choros e falta de sono. E às mães veteranas que aprenderam a deixar partir os seus filhos.

Às mães que trabalharam fora e às que ficaram em casa. Às mães solteiras e às casadas.

Este brinde é dedicado a todas essas mães. Para que resistam com coragem e saibam que o mundo seria um lugar terrível sem elas. Porque cada uma consegue transformá-lo em um lugar preservado e seguro para seus filhos. E para todos nós.

Por tudo isso, hoje, cada uma é a Melhor Mãe do Mundo.



O amor de mãe é infinito e transborda de felicidade
quando o seu filho em um simples gesto retribui esse amor.


Um dos presentes que ganhei do meu filho foi este livro da autora Lídia Maria Riba. A mensagem de abertura é um homenagem completa a todas as mães e mesmo que findo dia deixo aqui desejando que todas as mamães deste mundo virtual e real tenham passado um dia especial ao lado de seus filhos.



quarta-feira, 9 de maio de 2012

” A menina girassol “




Debruçada na grade da praça
Com seu vestido e toquinha
Cobertos de girassóis é um encanto.

Colorindo o jardim de amarelo ouro
Está uma linda menina de girassol
Toda formosa brilhando ao redor do sol.

Irene Moreira



Minha participação para o 6º encontro do Idéias Compartilhadas


quinta-feira, 3 de maio de 2012

" A maternidade tem gosto de quê ? Blogagem Coletiva


Esta é minha participação na Blogagem Coletiva promovida  pela  Lívia  do blog    Diversão em Família,
Cheguei a ela através do blog "Sementes da Chica" e vim correndo para prestigiar. Um tema  que toca a todas as mães e o convite é para  todas as  mamães.
   Gestantes, biológicas, de coração....

Deixo aqui um poema que fiz onde coloquei em prosa e verso  que gosto  a maternidade tem para mim . 



SUBLIME MOMENTO

Doce e sublime momento de um início de tarde do mês de agosto
Entre carinhos, afagos, dores e suspiros ao meu filho dei à luz 
Inesquecível emoção me embargou a garganta ao ouvir o seu choro
Com olhos embaçados vi seu rostinho cor de rosa contra a luz 
Entre sorrisos e choros de alegria queria ver, sentir esse ser tão pequenino
Esse ser tão meu, tão perfeito, tão lindo de um amor que não se traduz.

Ser mãe foi um momento único da realização de um sonho lindo
Sentir esse filho em meus braços, com suas mãos macias sobre meu peito
Sentir seus lábios sofregamente sugar meus seios saciando sua sede
Sentir seu corpinho tão delicado aninhado em meu colo que saudade
Queria poder voltar nesse tempo e fazer renascer cada momento
Queria poder reviver as primeiras palavras, os primeiros passos do meu anjinho.

Esse dia, essa data estará sempre viva em minhas recordações
Alimentando a minha alma e aquecendo o meu coração.
Meu filho é um sonho real que gera vida, amor e alegria
E hoje as atitudes se invertem e em seus braços me acaricia
Com toda preocupação e cuidados toma conta do meu sono
Toma conta de tudo e me enche de mimos e carinho.

Que mais posso querer do que agradecer a Deus por tamanha bênção
De ter gerado esse filho que só me traz alegrias e emoção.
Obrigado por ter sido protagonista desse espetáculo divino
Que desse amor sublime fez da minha vida um constante aprendizado. 
Obrigado pela felicidade de ser mãe e por viver esse dia tão especial
Que em minha memória viverá para sempre momento tão celestial.


Irene Moreira
Beijos
M@myrene

quarta-feira, 2 de maio de 2012

"E quando olhei no espelho... "




E quando olhei no espelho eu vi meu rosto e já não reconheci
Aquela mulher de pele lisa e com os traços da jovialidade
Aquela mulher alegre e cheia de vida que um dia fui
Aquela mulher cuja beleza era reflexo de sua felicidade.

E quando olhei no espelho eu vi no meu rosto as marcas do sofrimento
Vi um rosto cansado e abatido pelo desgaste da vida
Vi um rosto triste e amargurado pelos castigos que o coração aplica
Vi um rosto procurando encontrar um meio de voltar no tempo.

E quando olhei no espelho eu vi no meu rosto brotar um leve sorriso
Trazendo a esperança de um novo recomeço.



Irene Moreira
ism_rs




Tema: Reflexo
Participação para o 5º Encontro de Idéias Compartilhadas

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails