sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

"Uma mulher de coragem"


Eram quase duas horas da tarde e estava atrasada para a reunião no colégio de meu filho. Sai às pressas do trabalho e ainda tinha que chegar ao estacionamento para pegar o carro. Olhando para o relógio enquanto ligava o carro verifiquei que tinha menos de meia hora para chegar o que seria impossível, mas um pouco atrasada ainda teria tempo de conversar com os professores.

Resolvi cortar caminho seguindo outro trajeto e estava tudo tranqüilo até me deparar com um caminhão de carga com um homem caído no chão e do lado uma caminhonete com as quatro portas abertas.  Fiquei sem entender muito bem e com o pé no freio, pois estava numa subida, vejo um homem forte com uma arma na mão vindo em minha direção. 

Minha boca secou, meus olhos arregalaram, minhas pernas tremiam...  Ele foi chegando com aquele revolver... O carro foi deslizando e eu vendo tudo em câmara lenta. Olhei pelo retrovisor e vi que havia encostado no carro traseiro. Percebi ser preto e que na direção estava uma mulher. 

Estava em pânico que nem o som de suas vozes eu ouvia, me sentia no meio de uma cena de filme de bandido no tempo do cinema mudo.
Foi quando ouvi aquele disparo feito para o alto e em frações de segundo vejo a mulher sair do carro com uma arma em punho que e caminhar em passos fortes e largos que faziam estremecer o asfalto com o bater do salto de seu sapato. 

Ela foi ao encontro do bandido e numa rapidez e agilidade, com passes que mais parecia uma ninja, domina aquela fortaleza deixando-o caído no chão. Num golpe final e brilhante pisa em seu pulso que ainda segurava a arma fazendo com que a soltasse. Para finalizar ela apresenta as suas credenciais de policial e o algema dando ordem de prisão.

Logo em seguida foi chegando à polícia encontrando o bandido totalmente rendido pela policial que recebe todas as honras pelo desfecho feliz evitando essa tentativa de assalto. Vieram ao meu encontro onde me levaram para ser medicada e em poucas horas estava liberada, tendo perdido a reunião, mas por outro lado agradecia por nada ter me acontecido.

Estive com a policial e já descontraída agradeci e elogiei dizendo que tinha que ter umas aulas com ela para aprender a me defender e perder esse medo que me dominava. Ela sorriu e me abraçando falou que cada um escolhe a sua profissão procurando ser o melhor, mas que para isso tinha que se gostar e ter dedicação, pois um erro poderia custar à própria vida e a de outros.

imagens weheartit

Esta é minha participação para a 4ª Edição Conto/Crônica 



3 comentários:

  1. Adorei,Irene...Sempre criativa e tua participação,linda!!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Irene,um conto policial de grande suspense!Eu adorei ler!Bjs e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. VENHA FAZER PARTE DO GRUPO DA ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (FACEBOOK). PUBLIQUE SEUS POEMAS, CONTOS, CRÔNICAS, FOTOGRAFIAS, SUGESTÕES DE LIVROS, PEÇAS DE TEATRO, FILMES...TODO CONTEÚDO CULTURA.
    ACESSE O LINK E CLIQUE NA OPÇÃO (SEGUIR/PARTICIPAR DO GRUPO). DEPOIS É SÓ PUBLICAR SEUS TEXTOS COM OU SEM FOTOS.
    https://www.facebook.com/groups/149884331847903/


    Facebook: do poeta e editor Carlos Roberto de Souza (Agamenon Troyan) http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile

    ResponderExcluir

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails