domingo, 14 de julho de 2013

Minha participação _ Momentos Inspiração 1ª Edição

Minha Pequena Sara


Mais um domingo em que o Sol entra pela janela para nos dar bom dia. Sara acorda e vem correndo para minha cama pulando de alegria.
- Mamãe nós vamos poder passar o dia no parque? - Olha o Sol mamãe.  - Vamos logo senão fica tarde.
Por mais que esteja cansada não posso deixar de me contagiar por tanta alegria. Sara é a minha vida, um amor tão grande que não sei como consigo forças para seguir em frente e conseguir ser uma boa mãe.
Depois de tomar um bom café da manhã, vestir umas roupas leves, pegarmos a cestinha com seus brinquedos nos colocamos a caminho do parque que fica em frente de nossa casa.

Assim que colocamos os pés no parque Sara sai correndo e começa a brincar com as flores, as borboletas, os passarinhos. Ela um anjo no meio dessa natureza de Deus.
Como sempre fico sentada no banco de madeira que fica na frente de um lindo canteiro de flores. Coloco um chapéu para me proteger do Sol e fico admirando a beleza que está a minha volta sem tirar os olhos de Sara que é pura felicidade.

Começo a pensar no dia que vou ter que contar para Sara sobre quem é sua verdadeira mãe. Ela completou quatro aninhos e já pergunta sobre seu pai e digo que ele foi embora para um lugar muito distante. Troco de assunto para não ter que dar mais explicações. Sei que um dia terei que contar toda a verdade e meu coração bate forte, minha respiração dispara, mas não vou ter como manter esse segredo por muito tempo.

Sara vem correndo e pula no braço do banco pedindo para que eu conte uma história do livrinho que ela ganhou de presente no seu aniversário. Pego dentro da cestinha onde estava junto com seu ursinho de pelúcia e começo a contar. Seus olhos começam a brilhar olhando de uma forma como se estivesse viajando por aquele mundo mágico.

Sara é filha de minha irmã que faleceu no parto deixando esse presente de Deus em minhas mãos.  Sofia era uma mulher independente, uma profissional de sucesso e quando soube de sua gravidez resolvi ir morar com ela. Como professora levava uma vida simples morando no interior e pedi transferência para o Rio de Janeiro para poder ficar perto de Sofia. Ela nunca me falou do pai de Sara, deu a entender que fora uma decisão sua engravidar. Sim, Sofia tinha tudo e achava que ter um filho poderia conseguir da mesma forma, mas o destino nos prepara surpresas. Tudo corria bem, mas na hora do parto surgiram as complicações que levaram a minha querida Sofia e trouxeram a minha pequena Sara.

Pensando nisso tudo fico triste e mesmo tendo adotado Sara como minha filha, tenho que contar para ela sobre a verdade sobre sua mãe. Quero encontrar alguém para amar e sei que isso não é algo que eu possa passar numa loja e encontrar lá a minha disposição na prateleira. Quero ser uma mãe de que Sara se orgulhe, mas quero também que ela tenha a figura presente de um pai.

Sonho em encontrar um grande amor e poder construir uma família de verdade. Quero sempre ser a melhor mãe do mundo. Quero olhar para a minha pequena Sara é poder dizer que amar sempre vale à pena.

Irene Moreira 


Minha participação:
Momentos de Inspiração 1ª Edição

8 comentários:

  1. Irene,um conto lindo demais e uma realidade que está presente em muitas familias!Adorei o seu enfoque!bjs e lindo domingo!

    ResponderExcluir
  2. Irene

    Que lindo conto. Amor de mãe, insuperável. E o destino reservou esse presente que não tem preço.

    Um lindo domingo.
    bjs.

    ResponderExcluir
  3. Linda inspiração!! Adorei!bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  4. Um conto ensolarado, com as alegrias e surpresas da vida!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Quem sabe a verdadeira mãe de Sara não seja vc e a Sofia tenha sido apenas a coadjuvante?
    Ele merece continuação...
    bjo grande

    ResponderExcluir
  6. Mãe de coração... lindo!
    Sara vai entender, mas vai querer saber quem é o pai. Acho que todos deveriam ter esse direito e com Sara não será diferente. Olha eu discutindo com o seu belo conto!

    Beijos, Irene!

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida Irene
    Finalmente cheguei em casa depois de 12 dias fora...
    A presença de um pai pode ser sim substituída... tenho visto... mas quando há a possibilidade dos dois criarem os filhos fica bem melhor, claro!!!
    Fique bem!!!
    Bjm de paz

    ResponderExcluir
  8. Irene querida!
    Como sempre seus textos são inspirados e inteligentes. Adorei a história de Sara, delicada e carinhosa. Parabéns pelo conto bem escrito.

    Receber sua visita no blog traz alegria e felicidade ao meu dia, obrigada! Volte quando puder e quiser, aguardo com carinho.
    Desejo uma ótima semana!!
    Blogueiras Unidas 1275!
    Paz, amor e muita luz!
    cheirinhos
    Rudy
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails