sábado, 5 de fevereiro de 2011

" SOMOS TODOS IGUAIS NA DIFERENÇA " - BLOGAGEM COLETIVA




Estou aqui participando desta Blogagem Coletiva proposta pela Aleska do Diários de Bordo e Pandora do Caixa de Pandora  que aborda um assunto de suma importância e que ainda nos tempos de hoje é visto por muitos de uma forma diferente.



Vocês já pararam para pensar que as pessoas portadores de necessidades especiais convivem e  fazem parte de nosso dia a dia seja em nosso grupo de amigos e familiares, no trajeto para o trabalho, nas atividades físicas, nas festividades, nas escolas, nos processos seletivos tanto para o mercado privado ou público?
São seres humanos iguais a qualquer um de nós com os mesmos sonhos, as mesmas aspirações e conquistas e com uma garra que não existe obstáculo que não consiga  vencer. Ainda vemos muitos que enfrentam dificuldades para superar a sua deficiencia e são esses que precisam demais de nossa ajuda, de que estendamos a mão e ensinemos o caminho a seguir, que possamos fazê-los enxergarem que a vida estar disponível para todos é só querer viver.

Há alguns anos atrás um jovem de vinte anos, amigo inseparável de meu filho e sobrinhos, foi passar a festa de Ano Novo com uns colegas da Faculdade em uma linda praia e após as festividades retornavam alegres caminhando pela areia quando foram abordados por uns três rapazes, drogados e armados, levando seus pertences. Sendo liberados foram caminhando no sentido contrário e sem explicações, por mera diversão, um dos assaltantes disparou um tiro acertando as costas desse jovem.
Dali em diante a vida dele mudou radicalmente , passando por várias cirurgias, vivendo em constantes fisioterapias nada trouxe de volta a mobilidade de suas pernas.
Foram tempos difícieis onde não existiam as condições que hoje já estão disponíveis para os deficientes. Para que pudesse ter uma vida com liberdade e igual a todos teve que mudar de apartamento porque o prédio onde morava não dispunha de rampa para cadeirantes, teve que adaptar o apartamento as suas necessidades com relação a largura das portas, o banheiro e tudo o mais para transitar normalmente.
Ganhou um carro dos pais próprio para deficientes o que lhe deu maior liberdade de ir e vir sem depender de ajudante. Continuou cursando a faculdade formando-se em análises de sistemas, passou em um concurso público e hoje  é um homem totalmente independente, um profissional de sucesso, já esteve casado uma vez e continua em busca do seu par para completar a sua felicidade.
Esta é uma história verdadeira de um amigo do coração.




Deficiente . . .


Deficiente é gente
Corre com os seus pensamentos
Levanta sua alta estima
Abraçando os seus sonhos de forma segura...
Seja ele homem ou mulher
Através da sua vontade faz o que quer
Não se lamenta por não ter o que se pensa
Vai atrás da superação dos seus limites
Não importa quem os grite e até mesmo critique
Consegue nadar, correr, voar, viajar tudo em nome do superar
Chora, sorri, gesticula e faz de seu obstáculo o sustentáculo do vencer
Não acredita em não poder
Vai, Vai ponto a ponto, passo a passo caminhando e ultrapassando seus limites
Do anonimato
Não ter os braços, as pernas, os olhos e a sabedoria do dia-a-dia
não os limita em uma vida vazia
São flores do jardim da emoção que brota semente do fundo do seu coração
Onde a colheita é a grande superação...
Superação de vida que a nós homens e mulheres taxados como perfeitos
Conseguimos ser imperfeitos...

(José Renato da Silva Júnior)


17 comentários:

  1. Maria Irene...
    "Superação de vida..."...Essa é a lição da história comovente que nos traz, essa é a lição de que cada uma dessas pessoas ditas "diferentes", nos dá a cada passo.
    ..."uma vida vazia"...será a verdadeira incapacidade.
    Tocante a dança...
    Parabéns pelo post!
    CARINHOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  2. Esse caso é um de tantos exemplos de que ninguém está imune, né? Muitos tem tantos preconceitos mas não imaginam o que o amanhã os reserva.

    Que bom que seu amigo superou!

    Beijo na alma, Irene!

    ResponderExcluir
  3. Oi Irene

    As diferenças estão só na cabeça dos ignorantes e incapazes de imaginar-se um possível "deficiente".
    Concordo com a Meri, ninguém está imune e todos os ditos "normais" correm o risco.
    Parabéns pela postagem e o video é espetacular. Lindo.
    Ninguém é diferente de ninguém.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  4. Lindo o exemplo que vc citou, linda poesia, lindo video, estou aqui emocionada com a dança e a musica e a poesia... Linda, que apresentação linda, que expressão corporal desses dois, assim \o/ Sem palavras Irene, vc foi perfeita em sua postagem, no que fez aqui, é uma artista de mão cheia!!!

    Lindo, obrigada!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, minha querida Irene
    Estou aqui em lágrimas contidas... que grande espetáculo!!!
    Em recuperação da cirurgia e sentindo que a vida continua... pulsa em nós... corre pelas veias... a dança está dentro de minha alma... lindo!!!
    É a dança da vida por si só... surpreendente!!!
    Obrigada por essa partilha preciosa!!!
    Bjs de inclusão.

    ResponderExcluir
  6. Esta blogagem está muito linda Irene! Cada estória mais bonita que a outra. Quantos obstáculos essas pessoas tem que superar, quanto preconceito...muito bom seu post, contando a estória de seu jovem amigo. Adorei, beijos,

    ResponderExcluir
  7. Eu também tive uma aluna Dow e a achava maravilhosa
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  8. Este seu post merece toda a minha
    consideração da forma como tratou
    o assunto. Pertenço a uma Associação de Ajuda a pessoas com
    deficiência, mas que querem ser
    tratados com todo o respeito que
    merecem.
    Ninguém sabe o minuto seguinte...
    Apenas isso, o pior é que a maioria
    não pensa nisso como uma probabilidade.E as sociedades ditas
    democráticas(em princípio com mais
    responsabilidade/governos/parlamentos/autarquias, também não têm muito
    em conta estas pessoas que são pessoas exatamente iguais, só que,
    com pequenas nuances a que elas próprias tiveram que "se aceitar e
    aprender a conviver com as mesmas".
    Isto é um assunto muito sério em
    qualquer sociedade, mas sobretudo
    nas famílias, nos lares de cada um.
    Um beijo
    Irene

    ResponderExcluir
  9. Lindo este post Irene!!!

    VOLTEEEEEEEIIIII...
    Estava com tantas saudades!!!
    Seu blog esta cada dia mais lindo!!

    Como esta vc???
    Te adoro

    Vane Aguiar
    www.cabiveiseincabiveis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Gente como nós...os ditos perfeitos!
    Constroem a sua existência depois de multiplas mortes e espalham flores de esperança na vida dos outros.
    Recomeçam sempre por respeito a si próprios, livres de amarras a utopias e voam como pássaros na certeza antecipada da sua vontade!
    Histórias emocionantes, com a promessa da felicidade conquistada a pulso!
    Beijos
    Graça

    ResponderExcluir
  11. Irene, uma história verdadeira, triste, mas de superação do acidentado, que, felizmente, teve uma vida privilegiada.
    O pior é quando a deficiência existe em famílias que não podem ou não cuidam simplesmente dos seus. Há muita vida ruim sendo vivida pelas pessoas que passam por problemas físicos, ou neurológicos, ou mentais.
    Deficiente é a própria vida!
    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Exemplos de VIDA, apontando o dedo às fraquezas, tantas, com que frequentemente nos desculpamos do nosso passar ao lado da vida!
    Histórias que nos desafiam a dar as mãos aos que, mesmo debilitados, nunca desistem e, fazendo das fraquezas forças, mostram o quanto vale o dom de estar vivo!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  13. Querida Irene!

    Estou a ler o segundo texto dessa Blogagem Colectiva que desconhecia completamente mas cujo tema é crucial e urgente discutir.
    É fundamental mudar certas consciências e atitudes perante as diferenças.
    De certa forma, todos nós somos de algum modo "incapacitados" uma vez que perfeito não é ninguém!

    Se uns precisam de ter uma vida diferente, que lhe seja facultada essa possibilidade.
    Sabemos ainda, que quando uma das capacidades está limitada outra se desenvolve e supera em tudo a falta da outra.
    Acontece com todos nós, sublinho.
    Eu só má a matemática e excelente em idiomas.

    Tu és única! Eu sou única! Somos todos diferentes porque únicos e assim nos completamos.

    Parabéns pelo trabalho magnífico, que mais uma vez revela a pessoa linda que és.
    Adore-te
    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Concordo plenamente com vc!
    Um deficiente é acima de tudo um ser humano!
    E como tal uma pessoa normal, até certo ponto!
    Sabe? Eu tenho um amigo deficiente, aliás, amiga... Estudamos juntas, e quando seu aparelho quebrou, fizemos uma vaquinha e vendemos uma rifa para comprar um aparelho novo para ela (ela tem paralisia infantil)...
    Qdo a vejo hj, ainda nos lembramos disso... Ela é uma pessoa maravilhosa!

    bjo

    ResponderExcluir
  15. Pertinente sua belíssima participação,ainda acho que a deficiência mora no coração e na ignorância
    daquele que se acha perfeito..
    Obrigada por tanto carinho,tenha uma semana feliz,com paz saúde e amor,boas energias!
    bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Vim agradecer o comentário no blog da Pandora e vejo essa história comovente! Felizmente o país evoluiu, como você citou, e os deficientes estão sendo tratados um pouco melhor, mas ainda falta muito!
    Bj
    Adri

    ResponderExcluir
  17. Amiga, Irene.

    Que saudades que tava de passar por aqui.

    Achei simplesmente lindo o novo visual do seu blog. Adoreeeeei.

    Parabéns, amiga.

    Tenha uma semana abençoada.

    Deus é contigo sempre.

    Beijo no coração.

    ResponderExcluir

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails