sexta-feira, 23 de julho de 2010

" A ARTE DE ESCREVER "




Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.


Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.


Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.


Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.


Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.


A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.


De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.


Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.
 
de Pablo Neruda

Dia 25 de julho comemoramos o dia do escritor - o artista das palavras, da arte de escrever que tem nas mãos o dom de saber colocar no papel as mais belas histórias, contos, poemas que nascem de sua imaginação, de seus sonhos, de seus amores, de sua vida, de um simples olhar, de uma paisagem, de um silêncio... são tão sublimes quaisquer desses momentos que fazem nascer as mais belas telas de uma arte que não tem fim.

Beijos

quarta-feira, 21 de julho de 2010

"O BLOG NA CASA DO RAU COMEMORA UM ANO DE VIDA"


Estamos a comemorar o 1º Aniversário do blog "Na Casa do Rau" e venho homenagear a amiga Fernanda, chamada por todos carinhosamente de Ná, que durante este ano conquistou a todos nós com sua forma única de nos receber, de nos dedicar gestos de carinhos e amizade de uma simplicidade e candura que nos tormamos irmãos e parceiros nesta nossa vida na Blogosfera.

Estou já atrasada para a festa que está acontecendo Na Casa do Rau  e claro que não posso chegar de mãos vazias.

Vou correndo pegar os presentes que guardei   AQUI                                



Vamos comemorar este dia brindando juntos !!!!





Tim Tim !!!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

"A AMIZADE "




A amizade consegue ser tão complexa...
Deixa uns desanimados, outros bem felizes...
É a alimentação dos fracos
É o reino dos fortes

Faz-nos cometer erros
Os fracos deixam se ir abaixo
Os fortes erguem sempre a cabeça
os assim assim assumem-os

Sem pensar conquistamos
O mundo geral
e construimos o nosso pequeno lugar
deixando brilhar cada estrelinha

Estrelinhas...
Doces, sensiveis, frias, ternurentas...
Mas sempre presentes em qualquer parte
Os donos da Amizade...



Obrigado a todos vocês meus amigos.
Beijos


Fonte:
Texto se autor desconhecido
http://www.recados,net/

sábado, 17 de julho de 2010

"É tão bom o amor"




É tão bom ouvir sua voz me dizendo que gostas de mim
É tão bom poder estar com alguém tão lindo assim
É tão bom sentir o coração bater mais forte
É tão bom ter esse sentimento dentro da gente.


É tão bom amar é ser amado
É tão bom estar apaixonado
É tão bom sentir teus beijos
É tão bom estar em teus braços.


É tão bom assim que não quero que acabe
É tão bom que vibro de tanta alegria
É tão bom que a cada dia esse amor cresce
É tão bom que de amor morreria.


É tão bom saber que podemos amar
É tão bom saber nele encontramos a vida
É tão bom saber que o amor nos leva a qualquer lugar
É tão bom saber como sou feliz de te amar.

*Escrito por Irene Moreira*
"E a emoção do nosso amor
Não dá pra ser contida
A força desse amor
Não dá pra ser medida
Amar como eu te amo
Só uma vez na vida."
(Roberto Carlos)


Participação da 6a. Edição - Projeto In Verbis

Imagens Google

terça-feira, 13 de julho de 2010

" ROCK AND ROLL - Eu preciso dizer que te amo "



Vivi numa época de jovens cabeludos de roupas coloridas e com a esperança de mudar o mundo com idéias novas e pregando a paz e o amor. Esta foi a geração dos anos 60 - jovens que viram o ajuntamento de Woodstock para celebrar muito mais do que a nova música que já havia tomado conta do mundo, o rock.
Gritavam pela liberdade que nossos pais não tiveram - liberdades pessoais, de poder contestar os mais velhos, defendendo o amor livre descartando o casamento , a liberdade sexual e também o direito de usar droga em paz.
O fato é que a partir dessas idéias o mundo mudou. A paz e o amor pregados podem não ter prosperado do jeito que se pretendia, mas na certa hoje o mundo é outro, muito mais liberal , muito mais tolerante.
Posso dizer até que essa revolução teve sua parcela de contribuição na pregação de uma geração que queria mais liberdade, que desejava pensar por ela própria e adotar caminhos diferentes e menos tradicionais.
Hoje temos a oportunidade de influenciar o futuro, fazê-lo diferente, caminhando no sentido de um maior entendimento entre as pessoas, de conseguirmos a paz. As condições que temos são muito melhores do que dessa época e só ver que temos um planeta realmente interligado, vivendo o mundo da informação. Se a crença do Festival de Woodstock, dos hippies e dos anos 60 não mais persiste inteiramente, o que lá foi pregado acabou sobrevivendo na forma de um novo comportamento.
Na certa os jovens de hoje querem um mundo melhor, com mais liberdade, com entendimento, com paz. Querem construir o futuro e para isso tem que tomar atitudes como nos anos 60 mostrando que querem mudança, indo contra o conformismo. Rebeldia, o símbolo de uma geração, precisa ganhar um novo significado. E todos nós, rebeldes antigos ou novos, podemos dar nossa contribuição para a mudança. Agindo de alguma forma poderemos mostrar daqui há mais 40 anos, quando se olhar a história, que os anos iniciais do século XXI foram marcos de mudança e graças a isso nossos filhos e netos viverão em um mundo melhor.

Como boa carioca escolhi Cazuza  que todos já ouviram falar - foi um cantor e compositor brasileiro que ganhou fama como símbolo da sua geração como vocalista e principal letrista da banda Barão Vermelho. Sua parceria com Roberto Frejat foi criticamente aclamada. Dentre as composições famosas junto ao Barão Vermelho estão "Todo Amor Que Houver Nessa Vida", "Pro Dia Nascer Feliz", "Maior Abandonado", "Bete Balanço" e "Bilhetinho Azul".


Cazuza tornou-se um dos ícones da música brasileira do final do século XX. Dentre seus sucessos musicais em carreira solo, destacam-se "Exagerado", "Codinome Beija-Flor", "Ideologia", "Brasil", "Faz Parte Do Meu Show", "O Tempo Não Pára" e "O Nosso Amor A Gente Inventa".

Cazuza também ficou conhecido por ser rebelde, boêmio e polêmico, tendo declarado em entrevistas que era bissexual. Em 1989 declarou ser soropositivo e sucumbiu à doença em 1990, no Rio de Janeiro.

Escolhi a letra de uma música que gosto muito que fala do amor o que nós todos precisamos dizer.

Preciso Dizer que te amo



Quando a gente conversa
Contando casos, besteiras
Tanta coisa em comum
Deixando escapar segredos
E eu não sei que hora dizer
Me dá um medo, que medo



Eu preciso dizer que eu te amo
Te ganhar ou perder sem engano
E eu preciso dizer que eu te amo
Tanto



E até o tempo passa arrastado
Só pra eu ficar do teu lado
Você me chora dores de outro amor
Se abre e acaba comigo
E nessa novela eu não quero
Ser teu amigo

É que eu preciso dizer que eu te amo
Te ganhar ou perder sem engano
Eu preciso dizer que eu te amo, tanto



Eu já nem sei se eu tô misturando
Eu perco o sono
Lembrando cada riso teu
Qualquer bandeira
Fechando e abrindo a geladeira
A noite inteira



Eu preciso dizer que eu te amo
Te ganhar ou perder sem engano
Eu preciso dizer que eu te amo, tanto



(Cazuza, Bebel Gilberto, Dé )


Imagens google
Fontes :wikipedia e vidaesrteemcores

sábado, 10 de julho de 2010

"A CARTA"



Peguei a caneta, encarei o papel em branco e escrevi uma carta anônima contando tudo para minha irmã. Mais um dia se passou e aquela cena do meu cunhado com outra mulher não me saia do pensamento. Poderia não ter visto nada disso se não tivesse acompanhado os meus colegas da Faculdade ao Barzinho naquele dia. Logo que o avistei procurei me esconder para que não me visse e, não deu muito tempo, inventei uma desculpa e fui me embora.

Chegando em casa conversei com minha mãe sobre o ocorrido e ela recebeu aquilo como se fosse a coisa mais natural do mundo. Disse que os homens são assim mesmo e que logo esse “caso” terminaria. Ainda me olhou firme e disse que eu não abrisse a boca mais para falar sobre esse assunto.

Fiquei revoltada com a forma de minha mãe pensar e não podia conceber que minha irmã fosse traída daquela maneira. Sempre fomos muito unidas e sabia muito bem que ela não ficaria calada se fosse comigo.

Estava no quarto com os pensamentos turbilhando na minha cabeça. Acabara de dobrar no envelope a carta que havia escrito e sabia que quando minha irmã a recebesse ficaria transtornada, sofreria muito, mas sairia atrás das respostas dos porquês e, por mais que doesse, ela tomaria a decisão que fosse melhor para o seu coração. Ela não trocaria sua felicidade por um casamento de aparências isso eu tinha plena certeza. Amanhã estaria postando a carta no correio antes de ir para a Faculdade. Entregue a esses pensamentos acabei pegando no sono.
Quando dou por mim vejo que o dia já clareou e começo a escutar o movimento lá fora e me dou conta que o despertador não tocou. Pulo da cama e dou de cara com minha mãe pegando o envelope onde estava a carta que havia feito. Mais do que depressa corro para pegar e ela me pergunta asperamente:
- Para quem é a carta?
Virando o rosto digo que é uma carta de apresentação para uma vaga de estagiária em uma Editora.
Ela ficou meio desconfiada, mas como deve ter visto que não estava escrita à mão, acabou acreditando no que disse.
Corri para me arrumar e sai correndo para passar no correio mesmo que isso fosse me atrasar para as aulas.

Assim foi feito e passei o dia com o meu coração leve e na certeza de que tinha feito a coisa certa.
Sabia que minha irmã iria sofrer , mas não estaria sozinha porque eu estaria do lado dela. A mamãe, apesar de toda essa frieza, não deixaria de dar todo o apoio necessário. E essa sua frieza tinha uma explicação porque ela sofreu muito no seu casamento com o papai. Ela sabia que ele tinha uma amante, mas mesmo assim, ela sofria calada até que um dia ele a deixou – é por isso que não posso fazer vista grossa ao que vi – estaria repetindo a mesma história que já havia vivido.
*Escrito por Irene Moreira*
Participação 5a. Edição
Projeto In Verbis
"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido."
Vinícius de Moraes
Imagens google

segunda-feira, 5 de julho de 2010

"A ilha dos sentimentos"



Havia uma vez uma ilha, na qual viviam todos os sentimentos e valores do homem:
O Bom Humor, a Tristeza, o Saber...
Como também todos os outros, incluindo o Amor.
Um dia avisaram os sentimentos que a ilha estava prestes a afundar-se.
Então, todos prepararam os seus barcos e partiram.
Unicamente o Amor ficou, esperando sozinho, até o último momento.
Quando a ilha estava a ponto de desaparecer no mar, o Amor decidiu pedir ajuda.
A Riqueza passou perto do Amor num barco luxuosíssimo e o Amor disse-lhe:
- Riqueza, pode me levar contigo?
- Não posso porque tenho muito ouro e prata dentro do meu barco e não há lugar para ti.
Então, o Amor decidiu pedir ao Orgulho que estava passando numa magnífica barca:
- Orgulho, rogo-te, pode me levar contigo?
- Não posso levar-te, Amor... respondeu o Orgulho, aqui tudo é perfeito poderias arruinar-me a barca.
Então, o Amor disse à Tristeza que se estava aproximando:
- Tristeza, peço-te, deixa-me ir contigo.
- Óh, Amor... respondeu a Tristeza , estou tão triste que necessito estar só.
Logo, o Bom Humor passou em frente ao Amor, mas dava gargalhadas tão altas, que não ouviu que o estavam a chamar.
De repente uma voz disse:
- Vem Amor, levo-te comigo...
Era um velho o que havia chamado.
O Amor se sentiu tão contente e cheio de alegria que se esqueceu de perguntar o nome ao velho.
Quando chegou a terra firme, o velho desapareceu.
O Amor deu-se conta de quanto devia ao velho e assim perguntou ao Saber:
- Saber, podes dizer-me quem me ajudou?
- Foi o Tempo, respondeu o Saber.
- O Tempo?, perguntou-se o Amor,
- Porque será que o Tempo me ajudou?
O Saber, cheio de sabedoria, respondeu:
- Porque só o Tempo é capaz de compreender quão importante é o Amor na Vida.

A vida é como um livro que deve ser folheado página por página sem se consultar o índice.
Se ficarmos reparando os defeitos das outras pessoas nunca iremos participar da vida, pois vamos nos contentar com as nossas desculpas.
Conheci o bem e o mal, o pecado e a virtude, o certo e o errado. Julguei e fui julgado. Passei pelo nascimento e pela morte, pela alegria e pelo sofrimento, pelo céu e pelo inferno e no final eu reconheci que estou em tudo e que tudo vive em mim.

Imagens Google
Poemas Criador Perdido

sexta-feira, 2 de julho de 2010

O que você faria se, por um dia, se tornasse alguém do sexo oposto?

Esta pergunta faz parte da BLOGAGEM COLETIVA DO MÊS DE JUNHO proposta pelo blog ESPAÇO ABERTO  que estou participando e respondendo da melhor maneira que o meu lado masculino pode mostrar.


Como sou Mulher com a letra “M” maiúscula tive que fazer um esforço enorme e me concentrar para poder imaginar o que faria sendo Homem e ainda tive que consultar os universitários.


Se eu fosse homem eu faria uma série de coisas que listo aqui



- 1 -

Eu não insistiria muito com uma mulher,
se visse que ela não estava muito a fim.

Lógico que tem que entender que tem todo aquele charminho que nós fazemos, mas dá para perceber quando há algum interesse.
E aí, da arte de xavecar para a de encher a paciência é um pequeno pulo.





- 2 -

Eu seria romântico, sim!
Há um certo consenso entre a opinião masculina de que "mulher só gosta de homem cafajeste." Eu discordo totalmente.
O que acontece é que os cafajestes são mais românticos do que alguns homens "bonzinhos" e acabam desenvolvendo a arte da conquista.
Por isso, ser romântico, ligar pra namorada, ficante ou paquera em alguns momentos só pra escutar a voz, fazer coisas que ela goste, ainda é essencial. Mas é sempre bom lembrar que há o limite do romantismo e do exagero sentimentalesco.



- 3 -
As mulheres gostam de surpresas, acasos e coicindências...
Fazer com que elas aconteçam "por acaso" é uma boa idéia!
 
Ah, uma boa tática pra conquistar alguma mulher é ficar amigo dela.
Lógico que uma amizade sem segundas intenções.
Ficar só na amizade na primeira noite faz com que ela pense que ele é diferente dos outros que só querem ficar, sem qualquer conhecimento prévio.
Isso já aumenta uns pontinhos na preferência.
Experiência própria. Eu, particularmente, não me apaixono por pessoas que nem me conhecem e já vem querendo beijar.
De jeito e maneira .... Merecem sapinho bem dolorido na língua.




- 4 -

Eu não machucaria corações alheios. Ninguém é obrigado a ficar com ninguém, mas enganar as coitadinhas e fazê-las sofrer é muito feio! É bom lembrar que quem planta, colhe..
Bem, e se o amor acontecer, pois eles  também têm um coração e estão sujeitos a isso como nós, lute por ele. Não é em todo lugar que encontramos alguém que deseja dividir a nossa vida, com a sua individualidade soberana. Para o amor não existem regras. Nem se fosse homem, nem sendo mulher...
  "E pra começar eu só vou gostar de quem gosta de mim" 




- Conclusão Final -

Depois dessa consulta aos universitários e claro com algumas pitadas que não poderia deixar de colocar, venho encerrar esta Blogagem Coletiva citando o filme...

que fecha com chave de ouro esse dia tão MACHO  para mim.

Se Eu Fosse Você é um filme brasileiro de 2006, do gênero comédia romântica, dirigido por Daniel Filho e estrelado por Glória Pires e Tony Ramos. Com o sucesso do filme, houve uma continuação, Se Eu Fosse Você 2, que é a segunda parte da história, logo após os eventos ocorridos no primeiro longa.

* * * * * *

Cláudio e Helena são um casal rotineiro, e deverás isso, possuem algumas discussões. Ele, publicitário bem sucedido e ela, professora de música, após discutirem e começarem estranhamente a falar as mesmas palavras juntos, e na mesma hora, quando despertam no dia seguinte após adormecerem logo após tais eventos ocorridos, percebem-se que estão em corpos trocados: Helena está no corpo de Cláudio e vice-versa.


Tendo que enfrentar tal acontecimento inusitado e até então inédito para ambos, juntos terão que assumir a vida um do outro, e aprenderão a ver o ponto de vista de cada qual sob um novo ângulo, que até então fora superficialmente sentidos por eles, e que agora, são intensamente vividos.
* * * * *
Apresento dois Clips do filme que mostram cenas hilárias do casal para que possamos sair daqui dando umas boas risadas.




1+2= 4

"Se meu lado masculino
te ama forte másculo
se teu lado feminino
me ama frágil mulher
se enquanto mulher num abraço
te sinto tão masculino
se enquanto forte e terno
me amas assim feminina
seremos quatro e no quarto
doce compasso binário
teremos orgasmos primários"
[Helena Armond]



Fontes:
Imagens e pesquisas Google
Texto com parte adaptada do site viveramarsonhar.loveblog.com.br
Video You Tube

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails