sexta-feira, 23 de julho de 2010

" A ARTE DE ESCREVER "




Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.


Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.


Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.


Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.


Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.


A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.


De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.


Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.
 
de Pablo Neruda

Dia 25 de julho comemoramos o dia do escritor - o artista das palavras, da arte de escrever que tem nas mãos o dom de saber colocar no papel as mais belas histórias, contos, poemas que nascem de sua imaginação, de seus sonhos, de seus amores, de sua vida, de um simples olhar, de uma paisagem, de um silêncio... são tão sublimes quaisquer desses momentos que fazem nascer as mais belas telas de uma arte que não tem fim.

Beijos

17 comentários:

  1. Minha amiga Irene que lindo poema, triste é verdade como às vezes a vida pode ser!
    Parabéns pelo dia 25!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Irene.
    Nos versos do poeta, a imaginação flui e nos vemos como parte do cenário descrito em versos escritos com tanta arte.Parabéns pela escolha do poema.
    bjs
    heli

    ResponderExcluir
  3. Olá Irene,
    Pablo Neruda, sempre uma bela poesia a nos presentear...nos deixou tesouros.
    E você, por nos compartilhar, és abençoada na tua escolha...

    Parabéns, antecipado, pelo dia 25!

    Bjs

    Mila Lopes

    ResponderExcluir
  4. Um poema tão lindo! Tão triste! Escolheu bem para sua homenagem.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Um poema tão lindo! Tão triste! Escolheu bem para sua homenagem.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, vim te visitar e te oferecer um presente exclusivo, que estou oferecendo aos meus seguidores.
    E também o selo do dia do amigo - os dois selinhos estão no lado esquerdo do toque
    com carinho
    san

    ResponderExcluir
  7. Mas bah, guria.
    Que linda homenagem no Dia do Escritor, bela escolha.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Olá amiga... belo texto! e Feliz dia da Escritora, acho lindos os post´s por aqui, parabéns!
    Por isso , venho te oferecer o selinho Cantinho Intelectual: http://infinitodacris-selos.blogspot.com/2010/07/selinho-cantinho-intelectual.html

    Espero que gostes, pois adoro seu blog.

    Bjs e linda semaninha...

    ResponderExcluir
  9. Amiga... belíssima homenagem ao dia do escritor!!!! Quanto tempo não te visito neh?? que amiga desnaturada vc tem hein??? rssss...
    Depois venho com calma comentar em tudo...

    Sobre a postagem nostálgica do Vi e Ouvi Por Aí, você pode postar aqui sim... vou ficar muito feliz em ve-la aqui no seu cantinho!!!

    Beijosssss e até amanhã!!! (agora vou dormir huahuahuahua)

    ResponderExcluir
  10. Belissimo este poema de Pablo Neruda..."É tão curto o amor, tão longo o esquecimento"... Quanta verdade!
    beijo carinhoso
    Graça

    ResponderExcluir
  11. Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.

    Clarice Lispector


    Agradeço seu carinho...Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Querida Irene!

    Fizeste-me chorar, amiga!!!
    Sou assim ... fico um "caco" quando leio Neruda e versos assim sentidos de amor perdido.
    Obrigada.

    Beijos


    Na Casa do Rau

    ResponderExcluir
  13. Irene querida, por anda vc que simu, saudades!
    Bjão amiga e apareça!
    Gena

    ResponderExcluir
  14. Irene...

    Belos poemas, textos interessantes, e sobretudo muito bom gosto! É uma delicia entrar aqui...


    Beijosss
    AL

    ResponderExcluir
  15. Lindo poemA DE NERUDA ESCOLHESTE PRA HOMENAGEAR ESSE DIA.vOLTANDO, AINDA ME ADAPTANDO À ROTINA...PREOCUPADA COM NENO QUE ESTÁ TÃO FRAQUINHO E VAI REQUERER CUIDAdos ESÉCIAIS...UM BEIJO,TUDO DE BOKM, POBRIGADO PELO CARINHO!CHICA

    ResponderExcluir
  16. Oi amiga, estamos sumida uma da outra né? vim te ver e descobri que 25 de julho é dia do escritor com uma poema lindo e triste rsrsrsrs

    beijos e não suma!!

    Joana Campos

    ResponderExcluir
  17. Um poema sugerindo o escrever poético...lindo simples, real.
    Abraços!

    ResponderExcluir

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails