quarta-feira, 15 de junho de 2011

" JUVENTUDE - BLOGAGEM COLETIVA FASES DA VIDA




Esta é minha participação na Blogagem Coletiva Fases da Vida promovida pelos blogs ESPIRITUAL-IDADE da doce amiga Rosélia, PUBLICAR PARA PARTILHAR da amiga Rute e NAC0 ZINHA da amiga Gina.

Passamos para a 4a. Fase com o tema JUVENTUDE  que representa uma época de novos estilos de vida que nos anos 60/70 foi marcada por  quebras de regras na sociedade. Quanta saudade dos bailes de gala, das danças de salão no ritmo do twist e rock and roll, das paqueras, do namorar de mãos dadas, dos beijos roubados e das inúmeras  armações para triblar os horários impostos pelos pais. "A juventude é uma idade horrível que apreciamos apenas no momento em que sentimos saudade dela." (A. Amurri)


Mudanças para um mundo melhor

Vivi numa época de jovens cabeludos de roupas coloridas e com a esperança de mudar o mundo com idéias novas e pregando a paz e o amor. Esta foi a geração dos anos 60 - jovens que viram o ajuntamento de Woodstock para celebrar muito mais do que a nova música que já havia tomado conta do mundo, o rock.

Gritavam pela liberdade que nossos pais não tiveram - liberdades pessoais, de poder contestar os mais velhos, defendendo o amor livre descartando o casamento, a liberdade sexual. O fato é que a partir dessas idéias o mundo mudou. A paz e o amor pregados podem não ter prosperado do jeito que se pretendia, mas na certa hoje o mundo é outro, muito mais liberal , muito mais tolerante.

A alegria das festas onde adorava dançar o twist, o rock and roll e muitas outras. A emoção de ser tirada para dançar pelo rapaz que estava paquerando e sentir a sua mão tocando a minha, o seu rosto colado ao meu. Depois ao final do baile um passava o telefone do outro ficando de se falarem novamente.


Comecei a trabalhar cedo e ao mesmo tempo passei para a faculdade de Biologia onde tive alguns namorados, mas nada muito sério. Tinha uma grande preocupação em melhorar de vida ajudando a minha família e  casar ainda não estava no meu rol de prioridades.
 

Há momentos na vida em que somos pássaros.
Queremos voar, mas nossas asas são curtas
e não nos permitem chegar além do horizonte.
O que podemos estar sempre além do que desejamos.

Há momentos na vida em que temos longas asas,
podemos alçar extensos vôos,
mas nossos limites são determinados pelo peso
das bagagens que a vida nos dá.

São malas como o bom senso, juízo e medo.
Há os que se livram desse peso,
e conseguem voar muito alto.
Alguns atingem destinos fantásticos,
outros conhecem o sabor do desastre.

Mas há momentos na vida em que
deixamos de voar.
É quando nos tornamos árvores,
quando nos percebemos enraizados à terra.

Não nos damos conta desta mudança
que nos tira as asas e nos empresta
galhos e ramos como árvore.


Podemos crescer para cima
- na busca do sol e da luz -
e para baixo à cata de alimentos e energia.

Os dois movimentos se completam,
um não é possível sem o outro.

Enquanto crescemos,
podemos servir de pouso para os pássaros,
mas quando deixamos de procurar a luz,
ou desistimos de cavar em busca de energia,
paramos de crescer.

Não há árvores assim.
As árvores perseguem seu destino
que é crescer e se alimentar,
assim como há pássaros que só buscam voar.

Saber o momento do vôo
ou o instante de se enraizar
é a grande sabedoria humana.

Se você é pássaro voe em busca de seu sonho.
Se você se descobriu árvore
cresça o mais alto que puder
e deixe a terra cuidar de suas sementes.

(procura-se o autor)





Revivendo os bons tempos da minha juventude na época da faculdade aproveito para fazer campanha do Concurso Conto Vidas  onde o meu conto A Estação de Trem foi um dos selecionados.
Está aberta a votação para os 3 contos participantes mais preferidos pelos leitores e espero contar com a sua preferência. 

Clique aqui para Votar! 


 
Mais detalhes é só ver AQUI




imagens da google

25 comentários:

  1. Linda tua participação e saber um pouco mais de tua vida. Quanto ao conto já fui lá desde o início...beijos,chica e tuuuudo de bom,SEMPRE!!!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Bella!

    Agora bateu saudades de infinitas coisas... Por isto que é bom viver o presente com intensidade p/ guardar as boas lembranças...

    Já está votadíssima!

    Ah! Temos surpresa na Jubiart...

    Beijosssssssss

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Irene
    Seu post tem toda uma linguagem que me é peculiar...
    Quando entrei para a faculdade... descortinou-se para mim um mundo novíssimo... totalmente distinto do que fui preparada para enfrentar... parecia que entrava num novo País...
    Não vivi essa época por não poder ousar... nos anos 60 estava eu ainda na adolescência... reprimida e presa a não poder mais...
    Porém disso eu não tenho frustração (não na totalidade de tudo os que os jovens viveram)...
    Mas os seus versos relataram com carinho e dignidade que os jovens daquela época (nós, de uma certa forma) não tinham a "loucura" que os "mais velhos" lhes atribuiam...
    Gostei da "mala do bom senso... do juízo e do medo"...) é assim mesmo que me vejo nesse contexto do seu post e da nossa juventude já há muito ida... Excelente post!!!


    "O verde só vinga com o Orvalho de Hermon, nas Montanhas do Sião".

    Que o seu dia a dia seja amortecido pela força da juventude que habita em vc!!!
    Bjs juvenis e de paz


    "O verde só vinga com o Orvalho de Hermon, nas Montanhas do Sião".

    Que o seu dia a dia seja amortecido pela força da juventude que habita em vc!!!
    Bjs juvenis e de paz

    ResponderExcluir
  4. Tambem sou uma "jovem" dos anos sessenta, dourados, felizes e despreocupados! Talvez não tenhamos mudado o mundo mas, tenho a certeza, mudámos o conceito de Amizade e felicidade. Falo por experiência.
    Gostei do teu texto e do poema (delicioso) que vem a seguir!
    Já votei no teu conto e espero que ganhes!
    No Zambeziana há um concurso (modesto) onde gostaria que participasses...Dá um pulinho á palhota!
    Mil beijos
    Graça

    ResponderExcluir
  5. adorei sua história, Irene. Anos 60, anos mágicos, revolucionários, difíceis pelo panorama político. tempo dos grandes coques, cílios postiços, ie ie ie... era um tempo bom né, Irene.

    bom dia

    ResponderExcluir
  6. Olá Irene, adorei seu texto, retrata muito bem nossa época...tão galmorosa e intensa.
    Vou lá dar meu voto para você, ok?!
    Bjuss!!!

    ResponderExcluir
  7. parabens pelo conto selecionado!Um resfriadinho chato me tirou do trabalho hoje a tarde, entao vou aproveitar para visitar e comentar as coletivas! Depois da uma passadinha la na minha participacao! Bjo

    ResponderExcluir
  8. Sabe, Irene, percebo que cada geração tem grande diferença da anterior. A tal ponto que netos e avós falam "línguas" muito distintas.
    Acabamos nos deparando com aquela célebre frase "na minha época..."
    Mas reconheço que os anos 60 foram revolucionários nos costumes.
    Acho fantástico ver como cada um viveu a sua fase!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Cada geração tem seus valores,costumes,girias,moda e vai por aí.Querendo ou não temos que ter jogo de cintura tentar compreender a geração dos nossos filhos e netos.
    Estou conhecendo o seu blog, e gostei muito de tudo aqui.Já sou seguidora, bem caso aceite.
    Felicidades no seu caminhar.
    http://wwwavivarcel.blogspot.com/.

    ResponderExcluir
  10. Eu nasci nos loucos anos 80, a liberdade sempre existiu. Há dias em que eu acho que é demasiada liberdade até :)

    ResponderExcluir
  11. Cada um com sua história linda...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  12. Que legal a sua história. Você, como eu, comentou as mudanças tão radicais que houveram. assim uma vai completando a outra. Parabéns! Gostei prá caramba e das fotos também. Bjbjbj!!!

    ResponderExcluir
  13. Amo, amo, amo essa época dos anos 60!!
    Já te tinha dito isso antes não foi.
    Todas as mudanças operadas na sociedade, na economia, politica...o movimento Flower Power de libertação de consciência...fantástico!!
    Mil beijos,
    Rute

    ResponderExcluir
  14. Olá, Irene!

    É verdade, só nos damos conta da juventude, do quanto foi rápida e maravilhosa, quando bate a saudade... No momento em que estamos vivenciando,parece que passa despercebida.
    Encanta-me o brilho dos anos 60, pela coragem que tiveram os jovens, de buscar a mudança: e o bom é que ela veio.
    Adorei as imagens.

    Abraços
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  15. Tb sou desse tempo, do surgimento da mini saia, homens usando cabelo longo, o amor livre. E ainda bem q fomos corajosos e hoje temos um mundo mais tolerante, pois os pais de meu tempo eram extremamente castradores. Pena q há um outro lado q surgiu nada bom, o uso das drogas. Espero q caminhemos para boas propostas para os jovens. Muita paz!

    ResponderExcluir
  16. Eu adorei conhecer sua juventude.
    Uma fase bela!
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  17. Cada época que vivemos deixam marcas na nossa vida. Nossa juventude, particularmante, esta época marcou demais. Anos dourados!!! Obrigada pela visita. Bjd.

    ResponderExcluir
  18. Olá,Irene!!!

    Adorei saber mais de você!!
    Linda participação!!!
    **Obrigada por indicar o projeto!!Já estou participando!!
    Beijos!!!
    Bom final de semana!!

    ResponderExcluir
  19. Oi,Irene!!

    Votei!!!Tinha que escolher 3!!
    A sorte que conhecia!! Não tinha me dado conta que ainda não havia votado!!Porque já tinha lido e deixado comentário!!
    Mas agora sim está tudo certo!!
    Boa sorte!!

    ResponderExcluir
  20. Uma boa juventude, vivendo anos bons, de um modo geral. Mesmo que por nossas bandas (Brasil) a coisa não estivesse bem, o mundo se movia do mesmo jeito, e houve outras tantas boas. A poesia é linda, pena não se saber a autoria dela.
    Uma juventude bem vivida nos acompanha vida afora, com boas lembranças.

    Irene, tem um selinho para voc~e no meu blog. Sinta-se à vontade para trazê-lo ou não. Escolhi com carinho os 12 blogs, já que minha lista é grande.
    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  21. Olá Irene
    Devo dizer-lhe que adorei a sua postagem, muito interessante mesmo.
    Eu nasci em 66, não cheguei a tempo de viver essa loucura dos anos 60, mas é uma época que me fascina, pela música (adoro os Beatles), pela revolução nos costumes, o movimento hippie e por aí fora. Sem dúvida uma época que tenho pena de não ter vivido, ou melhor, eu vivi, mas era apenas um bebézinho. :)
    Adorei esse poema, de tal maneira que vou imprimi-lo. Dá que pensar, muito interessante esse ponto de vista, e que bom encontrar o equilíbrio entre as raízes e a vontade de chegar ao céu... de voar...
    Bjs

    ResponderExcluir
  22. Eu sou um pouquinho depois dessa época. Sou juventude anos 80, mas anos 60 me fascina muito. E realmente a gente só dá valor depois que sentimos saudades.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Querida amiga!

    Não há benção maior do que sua existência, obrigada por estar comigo mesmo estando ausente daqui.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  24. Uma bonita participação. Gostei de ler sobre sua juventude e sobre suas reflexões a respeito da vida.
    beijos

    ResponderExcluir
  25. Amei!!!Vivi tudo isto e ainda tinha um pai que era uma fera!!!BJS
    mINHA PARTICIPAÇÃO ESTÁ NO BLOG rUMOS lIBERTADORES...

    ResponderExcluir

Instagram

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails